Fim de semana Seattle

Tivemos que renovar o visto canadense, e como só se faz isso fora do Canada tivemos que atravessar para os USA e resolver num consulado canadense. Lá fomos nós de novo para Seattle. Direto no primeiro dia resolver essa “parada” e, como eles retêem o passaporte, não teríamos como voltar para casa (Canada); demos entrada no vista na sexta para pegar na segunda e “de quebra” um fim de semana em Seattle. Foram várias atrações: além de termos ficado onde eu considero o melhor de Seattle (Bellevue), fizemos vários tours com as crianças. Children’s Museum vale muito à pena! Comemos no Cheesecake factory, Boom Noodle, compras “básicas” no Bellevue Square, brunch no Whole Foods na volta para ir embora. Teve de tudo: desde uma visita a um pediatra (Nicholas teve infecção de ouvido) até um jantar super chique com os amigos do Saulo do trabalho que moram aqui no McCormick & Schmick’s.

Anúncios

Happy Birthday to Nicholas!

Então nosso pequeno já não é mais um bebê! Nicholas fez 2 anos! E eu nem acredito que já chegou tão rápido…No dia fizemos uma festinha na escolinha (levei cupcakes, vela, chapeuzinho, tudo do filme Cars – ele tá na fase amando o McQueen!). Foi um barato, pois chegamos na hora do lanchinho da tarde e para ele foi uma surpresa estarmos ali com ele e todos os amiguinhos da turma. Como ele ficou feliz de ver todo mundo cantando parabéns para ele! Foi demais poder comemorar assim, no lugar que ele passa boa parte do tempo e com os amiguinhos que ele brinca todo dia. Especial para todos. As tias da escola fizeram um cartão desenhado e com nome de todos os amigos da turminha, uma gracinha, super recordação!

Cypress com as crianças

Como ficam bem pertinho da cidade (meia hora de carro), escolhemos uma das “montanhas de neve” (parque) e fomos passar o domingo em Cypress Mountain com as crianças: eles se acabaram de brincar no sliding (descer uma rampa de neve na montanha com uma pranchinha, dá para ir sentado sozinho, em dupla…). Beatriz já pegou a manha e ia sozinha. Nicholas a gente colocava ele na frente e sentava atrás e segurava forte para não capotar. Mais gostoso era a gargalhada dele no final quando chegava lá embaixo. Pena não ter as fotos e filminhos que fizemos lá, os papais “pastéis” aqui acabaram perdendo a máquina fotográfica na neve e ela ficou enterrada por lá…