Viagem a Seattle

Segunda-feira passada foi feriado aqui, e decidimos aproveitar indo para Seattle, já que mamãe ainda não conhecia. Saímos no domingo sem pressa, depois de um brunch reforçado para pegarmos estrada, ir parando se quisermos, pois a idéia era ir até Bellevue para jantar no CheeseCake Factory. Passeamos pelo mall antes, algumas compritchas para mamãe e quando o estômago começou a reclamar entramos no restaurante. Pedimos os pratos que são tradicionais para a gente, para mamãe poder provar o que mais gostamos de lá, e no final ainda 2 pedaços de cheesecake! Claro que saímos de lá carregando as nossas dog bags (popular quentinhas!). Olha vovó e Beatriz sem saber qual chessecake escolheriam nessas prateleiras aí:

Dormimos à noite num hotel da rede Choice, que temos milhas, num EconoLodge. Como reservamos pela internet, queríamos que fosse perto das atrações que queríamos ir, e nem ligamos muito se era luxuoso e tal. Nossa, chegando lá parecia que tínhamos entrado num filme: era um daqueles hotéis que a porta do quarto não dá para um corredor interno do hotel, mas sim para o estacionamento! Por dentro era direitinho, normal, mas parecia aqueles quartos de hotel que o bandido estaciona o carro, se refugia, mata um lá dentro, coisa de filme americano. Ainda bem que era só para passar a noite rsss. Nem precisa dizer que mamãe achou o máximo né ;-)

O café da manhã foi punk, Nicholas estava impossível. Sorte que nos USA/Canada tem sempre high chair para “amarrar” criança desta idade, e aí todos conseguimos para aproveitar os waffles que tinham lá. Primeiro passeio do dia: Public Market. Impossível vir a Seattle e não passar por lá. Imagina, é um mercado, uma feira, mas tem mais famosa e interessante do que esta? Cheiros, sabores e cores. Locais, turistas, vendedores, tem de tudo. Tiramos fotos no porquinho famoso e das barracas. Provamos os vários samples que são oferecidos, até fettuccine de chocolate! Saulo foi perto de uma barraca de peixes com Beatriz e enquanto eu e mamãe estávamos olhando os alaska king crabs, ela comeu umas 3 provinhas de salmão que o barraqueiro estava oferecendo aos turistas. Deus sabe se aquilo tava cru, cozido ou o quê?!!! Bom, o que não mata engorda…Depois disso só me restava rezar!Finalizamos nosso passeio por lá comendo um quitute da confeitaria russa que descobrimos lá da última vez que fomos, a Piroshky. São delicosos, cada um se “entope” pelo menos com uns dois desses, é quase uma refeição. Adoramos os que tem recheio de queijo, de espinafre, ricota e os recheios doces. A gente fica sem saber qual escolher!Próximo passeio foi mostar a ponto turístico mais famoso de Seattle: a torre Space Needle. Ela é memos linda, um marco da cidade. Ao lado dela também ficam vários museus interessantes, o EMP, o Children’s Museum (que já levamos as crianças), o lugar tem praças, jardins, é muito bem conservado. Aproveitei para tirar foto também do anúncio mais brega e charmoso de lava-rápido que eu conheço: esse elefante rosa gigante com luzes aí na foto. Se o dono queria a chamar atenção, conseguiu! Pra mim é quase que outro marco da cidade, de tão grande, exuberante e cafona! rsssA viagem foi ótima, apesar do engarrafamento de todo feriado na volta para atravessar a fronteira de volta para o Canada. Mas aí a gente veio preparado, paramos antes shopping de Bellingham e fizemos um lanche num Mc Donald’s que tem um mega parquinho para as crianças gastarem energia. Valeu mais uma vez Seattle!!!

Anúncios

Comida caseira

Alguns pratos que saíram na cozinha aqui de casa durante a estadia de mamãe. Aliás, ela provou de tudo e adorou todas as comidas, achou a qualidade muito superior do que temos no Br. Do leite às frutas, até as coisas mais simples. Só estranhou o café, mas esta semana finalmente encontrei o pó de café Lavazza (para fazer expresso porém eu faço na cafeteira normal) e este foi elogiado com louvor.
 

Um dia no lago

Começa a temporada de calor e lá vamos nós para um programa tipicamente canadense: passar o dia na beira do lago. Como a praia aqui não é tão atrativa para banho, com pedras, vento gelado e tal, a “praia” mesmo é nos lagos, onde tem bastante areia, a água é mais quentinha, não venta tanto e ainda tem uma super estrutura para fazer uma boa “farofa” (i.e. churrasco, picnic com barraca e tudo mais). Sendo assim, primeiro sábado de solzão que fez aqui rumamos com tudo para Whonnock Lake e mamãe pode experimentar um verdadeiro dia à beira do lago. Dessa vez não tomamos banho (a temperatura da água apesar de quente para os canadenses, para a gente ainda é geladinha), mas os divertimos jogando frisbee, bola, as crianças no parquinho e fazendo churrasco. Esse aí foi nosso spot lá; levamos churrasqueira, cadeira dobrável, cangas, cooler com bebidas, brinquedos, uma tralha…Olha os quitutes que saíram lá e a garçonete que servia a gente.

Mamãe nunca passou dia igual a esse. Descanso na sombra, beliscando uma carninha. Sombra e água fresca no sentido literal! Aí em cima a gente jogando freesbe. Neste dia estava tendo um campeonato de canoagem por lá, as crianças e  nós adoramos ver a movimentação da galera competindo. Os canadenses são muito esportistas mesmo!

Só nas compras…

Turista aqui se perde nas compras, né? Ai, seguuuuura cartão de crédito!!! Quando mamãe fez as malas para vir comigo, fiz ela trazer uma mala grande extra vazia (na verdade usei para trazer mais um monte de coisas minhas do Br para cá!) para voltar só com as compras, presentes para a família e claro, a lista infinita de compras da minha irmã. E é com o maior prazer que saio com ela para as lojas aqui. Durante a semana vamos durante a tarde e de lá vamos pegar as crianças na escola e o Saulo no trabalho. Fim de semana as vezes vamos com as crianças junto e Beatriz se diverte também. Levo sempre meu material de estudo; a idéia é ela rodar a loja toda e eu sentadinha estudando, quer dizer, quando eu consigo e não fico “tentada”a ir juntinho com ela remexer todas as araras e prateleiras da loja! A mala tá ficando pequena…

Mamãe e os carrões

Uma das coisas que mais tem impressionado a mamãe aqui são os carrões que ela vê pela rua, estacionado do nosso lado, enfim, por “aí à toa”. Nas fotos, alguns modelos que ela admira – tem ainda as ferraris vermelhas (Nicholas sempre que vê grita “kachowwww”, achando que é o McQueen, e as limousines… Essa época aqui que tá começando o calor pré-verão, é só sair um solzinho e é um desfile de conversíveis pela cidade. Ficamos pensando que carro conversível só mesmo em lugares seguros. Quando fomos à White Rock estacionamos nosso carro no estacionamento público (pago) que fica bem em frente à praia e fomos passear. Quando voltamos tinha nada mais que uma ferrari estacionada do lado. Imagina se isso seria possível no Br? Não iria estar lá quando o dono voltasse!

Muffins de cenoura da vovó

Como Beatriz adora ir para a cozinha preparar alguma coisa, e toda semana temos uma sessão de “aula culinária” para ela quando chega da escola, dessa vez foi com a vovó Kaká. Elas fizeram bolinhos de cenoura com a receita da vovó. Nossa, cheirava pela casa toda, e no dia seguinte as crianças levaram até de”merenda para a escola. Elas se divertiram juntas! Ai, isso vai dar uma saudade quando mamãe voltar para o Br…

Restaurante Indiano-Paquistanês

Como de vez em quando saímos para almçar fora durante a semana (quando estou sem tempo ou saco para cozinhar), aproveitamos para comer em lugares que seriam difíceis de ir com as crianças no fim de semana e provamos culinárias diferentes. Levamos mamãe para conhecer o restaurante Gulberg,  que tem uma mistura de comida indiana e paquistanesa aqui na esquina de casa. É muito apimentado para meu paladar, mas o pão naan com pasta de iogurte “quebra” tudo e balanceia quando a boca começa a arder.