Comida Halal


Adoramos comida árabe e aqui na esquina de casa tem um restaurante chamado Jerusalem Grill. Vamos lá de vez em quando durante a semana para almoçar (sem as crianças, que talvez não comeriam 80% do cardápio – se bem que minhas ferinhas surpreendem…). Eles servem comida do Mediterrâneo (Middle Eastern region). É um restaurante certified halal food, ou seja, lá tudo que é preparado é de acordo com as regras da religião islâmica. Para os mulçumanos, a palavra halal indica o que é permitido para os muçulmanos, fazerem ou comerem. Aqui neste blog, encontrei algumas regras que eles seguem para a sua culinária. Controvérsias à parte – tem muito gente que é contra a forma de como os animais são abatidos – a comida de lá é deliciosa. Foge da comida árabe como conhecemos no Br, e servem misturas inusitadas. O falafel por exemplo é um prato para vegetarianos. Parece um quibe, porém não contém carne, e os tempero é super diferente. O prato do churrasquinho parece uma mistura de churrasquinho grego de frango que vem acompanhada de um arroz com canela, uma salada com muita salsinha, tomate, pepino e ainda pasta de grão de bico com pão árabe. É um dos restaurantes mais saudáveis por aqui, pois basicamente não tem fritura!

Anúncios

Trilha em BC

Nesta sexta, quando estávamos voltando para casa depois de dar um pulo rápido na IKEA com as crianças depois da escola, vimos dois coitotes na beirinha da estrada. As crianças ficaram encantadas por verem de pertinho um “filhote do lobo mau…”; foi a segunda vez que vimos coiotes soltos na rua. Isso me lembrou uma foto que tirei há um tempinho atrás durante um jogo de futebol do Saulo num campo lá em Port Coqtilam. O lugar onde fica o campo é dentro de centro de atividades esportivas, ao lado de um lago belíssimo e vários bosques e trilhas. Como já não tinha mais o que fazer com as crianças até acabar os 90 min da partida (Nicholas estava invadindo o campo o tempo todo e o juiz de cara feia para mim!), peguei as crianças e fomos dar uma volta. Vi um monte de gente fazendo trilha, caminhando, levando cachorro para passear nestas trilhas que ficavam atrás do campo, e lá fomos nós. Descobrimos uma natureza linda, tirei até fotos do lago, mas como já tava com o sol querendo se por, acabaram ficando queimada, uma pena. Mas olha só a foto da placa que tinha por lá:
O cougar é esse aí ó:
(foto do Google)

Fin’tastics cuts for kids

Levamos nosso pequeno para cortar o cabelinho no salão infantil vizinho aqui de casa. O último corte tinha sido nas férias, no Br, e já tinha passado da hora de cortar novamente. Com esse calor, ele começa a suar e logo parecia que tinha tomado um banho, com o cabelo molhado e lambido na testa. Saulo pediu para a cabelereira cortar bem curto, pois estamos no verão e blá blá blá; pra quê, a mulher tosou a cabeleira. Mas eu gostei, dá par usar meio bagunçadinho na frente, só falta comprar um gel rssss. Ficou um gatinho!Detalhe é que dessa vez o “serviço” foi bem rápido, pois ele parecia uma estátua olhando fixamente o desenho do Cars passando na tv estrategicamente colocada na frenre da cadeira-trenzinho-do-thomas. Tanto que quando acabou não queria ir embora, queria era ficar ali o resto da tarde vendo o filme…Ah, só saiu pq quis trocar de “cadeira” para o carrinho vermelho que parecia o McQueen do lado…

Acidente doméstico

Tem sido tantas emoções por aqui: mudança na semana que vem para uma casa nova, matrícula na escola nova da Beatriz, eu no trabalho novo ainda ajustanto minha rotina, viagens para os USA, rotina nova final da tarde com esse verãozão que tá fazendo aqui (as crianças querem ficar do lado de fora, ir pro parquinho, jogar bola, andar de bicicleta, patinete…) e mil outras coisas que vão aparecendo no meio do caminho que eu simplesmente esqueci de postar o “pequeno acidente doméstico” do Saulo. E olha que já faz um tempão, mas como sempre eu demoro para passar as fotos do iphone dele para meu laptop, quase caiu no esquecimento… Foi numa segunda-feira ensolarada, após o domingo que passamos fazendo churrasco no lago. Como sempre, ele se arruma e desce para a cozinha para colocar a mesa de café da manhã, enquanto eu ainda estou trocando o Nicholas e tentando acordar  Beatriz pela décima vez. Quando eu vinha descendo com o Nicholas na escada, só escutei um grito. Sabia que algo tinha acontecido, e quando cheguei na cozinha só vi Saulo com a mão para cima e muitos pingos de sangue pelo chão, bancada, roupa… Ele tinha cortado a mão na lâmina do processador, quando estava retirando da máquina de lavar louça. Foi um corte raso, mas bem comprido, e na hora ele falou: “- Bora pro hospital porque vai ter que dar ponto!”. Na hora fiquei tão nervosa, pois era tanto sangue que eu achei que tinha cortado também na região do pulso e já fui pegando o telefone para ligar para o 911… Saulo disse que não precisava, era exagero. Era mesmo, eu é que tava em jejum ainda e meio atordoada vendo aquele sangue todo. Bom, prendi o Nicholas na cadeirinha da cozinha, corri para acordar Beatriz (ela quase foi de pijama!) e entramos todos no carro para levar o Saulo no Hospital. Fomos direto para o Surrey Memorial Hospital, nunca tínhamos ido lá. Bem, Saulo deu entrada na recepção da emergência e ficou na sala de espera para ser chamado. Quando ele entrou, fui de volta com as crianças pois eles não podem entrar no hospital (óbvio) e passei em casa para arrumar as lancheiras deles para deixá-los na escola. Detalhe: levei iogurte que foi o café da manhã deles durante a recepção lá no Hospital e deixei os dois presos na cadeirinha do carro na garagem com um dvd passando filme para não ter que subir com os dois enquanto eu arrumava a lancheira de almoço deles. Too much…correria total. Deixei-os nas respectivas escolas e parti de novo para o Hospital. Saulo já estava lá dentro mas só tinha passado por uma enfermeira e estava aguardando o médico que iria fazer o atendimento. Longa espera…ele chegou às 8:30 hr e só saímos de lá 1 da tarde! E quando o médico finalmente o atendeu, limpou o machucado com Saulo uivando de dor, passou um gel, e pediu para esperar mais um pouco. Achamos que era um antiséptico, algo assim. Logo o médico voltou e disse que era só fazer o curativo e estava liberado. E nós: mas como assim, não vai ter ponto?…Não!!! Ficamos lá quase quatro horas aguardando só para passar um cola cirúrgica, que não demorou nem 3 minutos para passar!!! Saulo saiu aliviado claro, mas achou um absurdo o tempo que levou para isso. É, saúde pública é isso aí…Também, nós fomos logo no maior hospital da região; vimos de tudo lá, desde ambulâncias chegando, a crianças que tinham apenas torcido um pé até uma mulher que chegou algemada pela polícia e parecia meio doida. Claro que ia demorar mesmo…nem lembramos que aqui no lado de casa na clínica médica que sempre vamos e eles também dão ponto, curativos…mas o Saulo tinha achado na hora que o corte era mais sério, podia ter comprometido mais..enfim. Vivendo e aprendendo. Mas que foi uma manhã digna de um episódio de ER foi…

Natação

Finalmente tomamos “coragem” e inscrevemos o Nicholas na natação. Era um desejo muito antigo, pois desde viemos morar no Canada eu queria que nosso pequeno continuasse as aulas de natação (eu sempre coloquei meus filhos muito cedo para começar a nadar) só que quando chegamos aqui ano passado fiquei receosa, afinal o verão (calor) dura menos de 2 meses e a piscina seria da Academia tem é aquecida e tem ar refrigerado nos banheiros e vestiários – aquele contraste que eu não acho nem um pouco bom para saúde de bebê…fora para sair do lado de fora para o carro com o sempre constante frio/chuvinha daqui. Enfim, fiquei aguardando o verão deste ano para “experimentar” e estamos nos saindo bem até agora. Também tem outro fato que ficamos aguardando, pois como Beatriz ainda tem tubinhos inseridos no tímpano (ainda não caíram) ela não pode mergulhar, e ficar “babando” vendo o irmão se esbaldando na piscina para quem ama água como ela não seria nada fácil. Daí que descobri uma aula de balé no mesmo horário e tudo se encaixaria perfeitamente. Nem preciso dizer o quanto Nicholas adorou estar na piscina! Pena que a aula aqui para a idade dele junta bebês de 0 a 36 meses, e ainda tem que ter participação obrigatória do pai ou mãe na piscina, e é tão básico para ele que ele não segue a aula nem por nada. Quer é pular na borda, jogar um bichinho de plástico para ir nadando (com bóia) sozinho para buscar…enquanto os bebês ao lado estão tranquilinhos no colos de seus pais tendo aquele “primeiro contato” com a água. Bom, as aulas em grupo aqui são assim, e para ele ter aulas mais avançadas (em grupo) só à partir de 3 anos ainda, onde ele mudaria”de “faixa”, caso contrário temos que contratar private classes, que nem vi ainda qual o preço, mas aqui qq coisa private é bem mais caro…Gentem, tirei foto do Nicholas preso nessa cadeirinha no banheiro do vestiário porque achei tudibom! Eu não vivo falando que aqui é feito para as pessoas terem filhos, levarem para tudo quanto é lugar e sem babá? Pois é, é porque tem essas coisas!!! Como sair da piscina e dar banho no pimpolho e depois se arrumar (mãe tb tem que dar uma chuveirada, trocar de roupa, né?) com a criança solta, chão molhado, a gente “pelada” rezando para ele sossegar e não abrir a porta do cubículo com chuveiro individual que fica dentro do banheiro??!!! Nada como ter onde prender as ferinhas!!! Problema resolvido! E esse banheiro é o Family Washroom, todo assim. No banheiro feminino e masculino tem uns cercados também espalhados, caso vc precise colocar o bebê de colo ali enquanto você se troca. Isso que eu chamo de primeiro mundo!!!

Whonnock Lake ver(s)ão 2012

Este ano não vai ser igual aquele que passou…eu não brinquei…vc tb não brincou…kkkk…definitivamente não será igual ao verão passado: agora temos nossa churrasqueira rsss. Então tá, fez sol, calor, é hora da “farofa” outdoor (parque, lago, o importante é aproveitar o sol!!!). Lá fomos nós com uma tchurma para o Whonnock Lake. Convidamos nossos amigos brasileiros Ana, Daniel (com Lucas e Amanda) e mais uma família que fiz amizade aqui pelo Blog, a Macela, o Welby e a Mariana. O dia estava perfeito para as crianças brincarem no lago, no parquinho e para fazermos nosso tradicional churrasco (muito hamburguer e hot dog, com frutas, cenourinhas, suco, refri…). Coisas bem práticas, embora o Saulo goste de preparar o hamburguer e não comprar pronto (delícia!). Levei também brigadeiro de copinho, sucesso total entre as crianças. Eles aliás se divertiram muito, tanto que Nicholas até cansou e tirou uma sonequinha da tarde por lá.