Sarah’s birthday party

Sábado tivemos mais uma festinha de aniversário: a Sarah, amiguinha da Beatriz (ex-daycare e agora da Frost Road, apesar de estar em salas separadas) fez 5 anos e comemorou na casa de festa Go Bananas. Fomos só eu e as crianças, pois o Saulo tinha jogo de futebol marcado para o mesmo horário. Geralmente estas festas aqui tem duração de 2 hrs e segue um roteiro meio padrão: brinca, depois quase no final todas as crianças sentam na mesa para comer, cantar parabéns, abrir os presentes com o aniversariante e aí acabou a festa. Nesta foi diferente: marcada para às 3 da tarde, assim que chegamos já estavam todas as crianças sentadas na mesa para comer, antes de brincar. Como a família da Sarah é chinesa e a mãe dela é dona de um restaurante chinês, eles serviram um autêntico almoço chinês para todo mundo (inclusive os adultos, que normalmente ficam excluídos, é tudo sempre só para as crianças). Tudo parecia estar delicioso e eu tinha acabado de almoçar em casa, ai que pena… Mas mesmo assim tive que comer; a Cassandra (mãe da Sarah) insistiu para que eu provasse tudo e colocou um prato e hashi na minha mão e eu acabei almoçando de novo. O bolo também foi diferente: todo de sorvete e no tema das princesas da Disney. Foi um brigueiro para ver quem ia comer o vestido da Bela, a cabeça da Branca de Neve, o cabelo da Ariel rsssss. Beatriz se divertiu bastante nos brinquedos de lá, ainda mais com os amiguinhos da escola junto. Nicholas chegou dormindo e só acordou quando a festa acabou e eu estava me despedindo de todos. Aí acabamos ficando mais 1hr lá dentro da casa de festa para ele aproveitar, porque depois que acordou e viu onde estava, quem disse que ele queria ir embora?

Anúncios

Halloween Dance Party

A escola da Beatriz fez uma festa para comemorar o Halloween na última sexta-feira. O Halloween aqui é comemorado com muita expectativa por todos, já que é a única época do ano que as pessoas usam fantasias (não necessariamente assustadoras, como sugere o tema, principalmente as crianças) e festa aparecem em todo o canto. As escolas, clubes, igrejas, famílias, todos comemoram o Halloween não só no dia 31 de outubro, mas também com festa antecipadas. Esse ano eu nem decorei a casa ainda (só tem um gatinho preto pendurado na porta de entrada) e a nossa pumpkin que fica acesa na varanda, mas até dia 31 vou colocar a casa mais no “clima”(as crianças adoram!). A festa da Frost Road era para pais e alunos, foi à noite dentro do ginásio. Beatriz decidiu que apesar de todas as fantasias de princesa, queria ir de vampiro(!). Ela é mesmo muito “original”, rsss. No Br lembro que quando era comemorado o Halloween na escola (e lá todo mundo vai de preto e tal) ela foi de branca de neve (como tinha aprendido nos USA, já que as crianças pequenas aqui preferem os temas que mais gostam). Mas aqui ela quer ser sempre diferente, rsss. Ela passou a mão na capa de vampiro que o Nicholas ganhou da vovó Kaká há muito tempo, junto uma blusa branca, calça preta e disse que já tava com o modelito pronto. Eu apenas comprei uns dentes de vampiro e resolvi que iríamos todos de vampiros então. (Fácil, fácil, misturei umas roupas preta e brancas, Saulo colocou um terno, mais dentes de vampiros para a gente, uma capa na loja de 1 dólar para o Saulo e uma maquiagem de sangue artificial que usamos nos cantos da boca). Maquiagem preta nos olhos: e lá fomos de Vampire Family. O Nicholas completou de bat(man), nosso morceguinho. Encontei uma fantasia meio pijama que era um batman vermelho e ele adorou (há uma semana que ele dorme todos os dias vestido de batman e é um chororô todo dia de manhã para tirar e colocar a roupa da escola…).A festa foi ótima: tinha discoteca! O ginásio estava todo com escuro com iluminação artifical, uns bonecos de frankstein, fantasmas, abóboras iluminadas, aranhas caindo do teto. Todo mundo fantasiado, pizza, salgadinhos, sucos, refri, brindes para as crianças. Dançamos horrores! Beatriz aprendeu a danças a coreografia da música Macarena toda! Ficou encantada, brincou com as amigas. Nicholas correu e dançou o tempo todo. No final teve votação das melhores fantasias, e acabamos ganhando o prêmio na categoria família! Nem esperávamos, foi surpresa total quando nos anunciaram e tivemos que ir no palco receber o prêmio: um jantar no Boston pizza e um brinquedo para a Beatriz!

Shopping Day(s)

Nesse último final de semana foi um chá’ de shopping. No sábado, depois do ballet da Beatriz almoçamos em casa e fomos no final da tarde para o Metrotown. Fazia tempo que eu estava precisando ir comprar algumas coisas e estava tentando já há uns dois finais de semana, mas a preguiça de ‘encarar’ um shopping batia e acabávamos trocando por outros programas mais interessantes. No Metrotown tem a loja da Disney, então o Saulo acaba ficando por lá com as crianças enquanto eu ‘dô minha voltinha’… Pior que a minha lista de coisas eram todas para as crianças e para a casa… Mas fomos um pouco tarde, chegamos umas 6, então logo bateu fome em todo mundo e sabe como é, para tirar os dois de dentro da loja da Disney…fora que o Saulo não comprou nem um ‘alfinete’ lá para eles (Nicholas, óbvio, já tinha separado um carro do McQueen que ele quer sempre comprar mais um) e Beatriz algo de princesa. Mas… no pain no gain… Eles não tinham se comportado muito bem numa determinada hora do dia e Saulo fez questão de lembrá-los na saída da loja. Foi aquele chororô, mas não se dever perder a lição…No domingo, o tempinho aquí ainda estava chuvoso (pra variar), e o Saulo tinha um jogo de futebol de tarde. Combinei de levá-lo no jogo e de lá eu levaria as crianças num Play Park (casa de festa infantil indoor) para as crianças se divertirem um pouco. Mas o Nicholas dormiu no caminho até lá e eu reprogramei nosso passeio; Saulo nos deixou num shopping próximo do campo onde ele ia jogar em Coquitlam e eu e Beatriz batemos perna enquanto Nicholas dormia no carrinho. Ai, shopping again!!!

Update

. Temperaturas já caíram o suficiente para a gente andar todos “encapotados” novamente. Pior é ver neguinho chegando na academia só de bermuda e eu com meu casaso de neve (por cima já de vários layers de roupas)…

. Filme que mais visto aqui em casa ultimamente: “Bolt” (Supercão) (desde que peguei na biblioteca na sexta-feira passada as crianças têem assistido diariamente antes de dormir…coméquenãoenjoam??!!??!!

. Preparativos para fim de semana do Halloween: Nicholas tem dormido com a fantasia (Batman) que ganhou para a data comemorativa e Beatriz se recusa a usar qualquer uma das 20 e tantas fantasias que ela tem (princesas, bruxinha, etc etc.) para ir no ‘baile’ da escola. Quer ir de vampiro :-0 !!!

. Tenho cozinhado que nem uma louca na cozinha. Acho que tô inspirada. Olha só o que tem saído aqui na nossa kitchen:

Say cheeeese

Esta foto foi tirada numa sessão de fotos montada para as famílias na escola da Beatriz. Tinha lá um fotógrafo que ia colocando as famílias num pequeno studio que montaram lá e era só chegar e “click”! Depois recebemos as provinhas em casa e, se quisermos a impressão das fotos é só entrar no site da empresa que faz o trabalho e comprar (entrega pelo correio). As fotos ficaram legais, exceto que estamos todos de tênis e, kkkkkk, as de “corpo inteiro” ficaram parecendo “apresentador de telejornal que tá só com o blazer/gravata/camisa e de bermuda embaixo” rssss.

 

Wisdom

Esta semana tivemos a primeira reunião de escola da Frost Road, onde a Beatriz estuda. Recebemos a convocação através do newsletter da escola, ou seja por email. E falava que era reunião de “PAC” (Program Advisory Committee) e que principalmente os pais de novos alunos eram muito benvindos para conhecer mais sobre a escola. Bom, como fomos instruídos que quando tem reunião da escola para os pais podemos levar os filhos que sempre haverá babysitting (já que aqui ninguém tem babá a tira colo, só uma babysitter de vez em quando), fomos com Beatriz e Nicholas para lá.

Quando chegamos na escola notei que não tinham muitos carros parados no estacionamento, enfim, até que quando entramos lá tinham apenas uma “meia dúzia de gato pingado” numa mesa de reunião na biblioteca da escola e -pasmen- nenhuma criança. Viemos a descobrir que a reunião em si não era a reunião de pais ‘normal’ que a escola faz de vez em quando, mas sim a reunião de PAC que é formada pelo principal (diretor) da escola, seu vice, e uma comissão de pais voluntários para tratar dos assuntos financeiros da escola, como investimentos, manutenção, eventos para angariar dinheiro, etc.

Assim que nos viu, Mr.Hosthead, o diretor da escola viu que tínhamos levado as crianças e nos levou no canto da biblioteca onde tinham várias estantes de livros destinados aos menores (kindergarten) para que as crianças se distraírem com os livros e nós podermos participar da reunião. Mr.Horsthead, claro, não conhece o Nicholas e logo me desculpei e disse que ficaria com as crianças lendo os livros enquanto o Saulo participava. (Ai meu Deus, aí começa a minha saga, eram 6:30 da noite e a reunião iria até às 8:30. Estávamos a poucos metros da mesa de reunião – dava para escutar o barulho que as crianças obviamente iam fazer!) e eu iria ter que controlar polidamente meus dois pimpolhos até o final. Por quê? Ora, ficamos sem graça de ir embora…apesar de termos percebido que a reunião era mais restrita, eles estavam pensando que nós estávamos total interessados em fazer parte do comitê (o que nem se passava pela nossa cabeça). Dar meia-volta e ir embora iria ser muito rude!

Em cinco minutos os dois já tinham pego uns 10 livros cada um…Mr.Horsthead também nos ofereceu abrir a sala de computadores da escola (onde Beatriz tem aulas de computador) ali mesmo na Biblioteca, mais eu agradeci…Nicholas ia bagunçar demais. Ainda não tinha conhecido o laboratório de informática da escola, e percebi que a TODOS OS COMPUTADORES ERAM MAC! Continuaríamos nos livros mesmo, até que fomos ‘agraciados’ com duas surpresas boas: a primeira foi o Seth, um garoto da 5.a série cujo pai estava na reunião sentado ao lado do Saulo e assim que percebeu que eu ficaria lendo com as crianças ligou para o filho em casa e pediu que fosse até a escola como volunteer para tomar conta das crianças! Gente, o menino chegou em questão de minutos (deve morar perto) e se apresentou para as crianças e perguntou se elas queriam que ele lesse algum livro para elas, no que elas responderam sim imediatamente e, tanto Nicholas quanto a Beatriz, deram um livro na mão dele. O Seth é  o menino mais educado que vi na vida, que coisa! Leu uns dois livros para os dois, e quando o Nicholas não queria mais prestar atenção (explico à frente), ainda leu mais uns 3 ou 4 para Beatriz.

Nicholas logo voltou o interesse para o IPad que o vice-diretor da escola, o Mr. Wilke, deu para todos brincar. ELE DISTRIBUI UM IPAD PARA CADA CRIANÇA se distrair, e depois das estórias dos livros, Nicholas, Beatriz e o Seth ficaram brincando com os apps educativos dos IPads. Gente, a escola tem IPADS para os alunos na Biblioteca! *Vou lembrar aqui pela primeira vez que a escola é pública.

Enquanto isso o Saulo estava lá na reunião tomando ciência e descobrindo como funciona a administração da escola no que diz respeito a parte financeira: o governo é responsável por quase tudo (instalações, contas de consumo, salário de professores e funcionários e toda a parte básica esperada…). Porém é função da escola angariar dinheiro para: material escolar, renovações ou obras de melhorias da quadra, máquinas para a escola, computadores, etc etc. E como eles fazem isso? Eventos. Agora mesmo teremos um ‘baile de Halloween’ para os alunos e pais, com entrada a $3 por pessoa. Todo o dinheiro arrecadado com um evento como esse é para pagar os custos do evento em si e o restante para o fundo de investimento da escola. E tem muitas outras coisas que eles fazem para o tal do fundraising money que nem dá para listar aqui.

Saulo me falou que eles estavam fazendo os cálculos visando quanto eles precisariam para os investimentos no novo ano escolar, só que como estavam com o ‘caixa alto’ (tipo ano passado parece que fizeram muitas ações de fundraising e não gastaram tudo, tinha sobrado tipo uns $60 mil para este ano, então eles não iriam precisar levantar muito dinheiro este ano, bastava uns $10 mil que a escola conseguiria fazer todos os investimentos previstos). Gente, em que lugar no mundo as pessoas pensam assim, sem ambição? E mais, essa comissão É SÉRIA! Se fosse no Br, além de já terem ‘enchido’ os próprios bolsos com propinas (alguém lembrou aí de dinheiro de escola pública no Brasil que é desviado? Empresas “apadrinhadas” da prefeitura? Merendas superfaturadas???), eles nem estavam com intenção de simplesmente dobrar o caixa da escola (não há nem medo de inflação para ter que salvar agora pois depois pode piorar, ou corte de governo com alguma verba que já faz parte…).

Saímos de queixo caído. Que lição, que exemplo, que país, que educação! Não há como não comparar com o Br, não há como deixar de pensar que somos uma nação literalmente pobre: corrupção, falta de educação, de civilidade. Sem contar com um detalhe à mais: os pais que formam 90% dessa comissão estão lá como…voluntários! Não recebem nem um tostão por isso. Trabalho voluntário no Br??? Sim, até temos, mas jamais na proporção que vejo aqui (esse assunto de volunteer tem que ser me outro post…) e ainda mais para lidar com ações de uma escola pública! No Br isso nunca ia dar certo; o dinheiro já é desviado pelas próprias autoridades e entidades do governo, imagina se ainda pudesse ter uma colaboração espontânea de quem quisesse tomar conta do dinheiro da escola!!!

Voltando à reunião e minha longa tarefa de manter as crianças tide & polite, brincando educadamente na biblioteca da escola, só fomos embora mesmo quando eram 8:30 da noite e Nicholas já tinha ensaiado umas 5 corridas em volta da mesa lá dos adultos…

Saulo foi chamado para fazer parte da comissão como secretário; porém agradeceu e declinou em função de precisarmos tempo para tantas outras coisas que estavamos envolvidos: renovação de visto work permit, entrada para tirar o visto permanente, viagem de férias para o Br, e nossa rotina que sem nenhuma ajuda de fora (babá, parente…) é sempre apertada. Quem sabe outra oportunidade…

Ficou o exemplo. Ficará marcado para a gente para a sempre esta experiência. Tivemos a sensação daqueles momentos únicos que vivenciamos fora do nosso país que nos deixa de queixo caído. E com aquela sensação mixta de revolta, ansiedade e tristeza de  pensarmos que poderia ser diferente no nosso próprio país e não é. Como estamos atrasados…. Dá-lhe Carminha, Avenida Brasil, BBB, jogos do brasileirão e agora até UFC como novo esporte nacional para manter o povo alienado…