Isso é o que eu chamo de confiar no seu taco

Hoje a Beatriz não foi para a escola pois os professores estão em greve. Sim, greve. Eu não imaginava que aqui num país onde “tudo funciona”, houvesse greve. Mas há. E não é a primeira. Minha amigas brasileiras aqui já haviam comentado que pegaram greves em outros anos anteriores. Não sei os detalhes do porquê da reinvidicação e na atual conjuntura da minha vida (período de provas para terminar o semestre na faculdade, mudamos em 1 mês e com o marido morando a semana toda em outra cidade #trabalheiradocão) não estou com tempo nem para minhas corridas ou academias que faça chuva ou faça sol eu não deixo de ir… então cortei tv, internet.. quando páro só quero ler algo para relaxar…
Mas bem, vejam só que coisa mais organizada: nós, os pais, já tínhamos sido avisados (por email, mas saiu na mídia também) há mais de duas semanas que hoje, quinta-feira 29 de maio as escolas de Surrey iam parar para aderir ao movimento da greve. Coisa mais civilizada, não gente? E o movimento parece ser totalmente organizado, nada de baderna (tipo largar os ônibus no meio das ruas atrapalhando tudo de uma hora para outra.. alôwwww SP). Só espero que tudo se resolva logo, pois parece que dependendo do andar da negociação, pode ser que tenha outra na semana que vem.

Mas e o título desse post??? Coloquei esse aí, porque amanhã, dia seguinte à paralização dos professores (e que os pais tiveram que se virar para ficar com as crianças hoje) é o Staff Appreciation Lunch! É o dia que os pais preparam o almoço para os professores para agradecer todo o trabalho deles (preparamos uma entrada, prato principal ou sobremesa para levar para a escola para o almoço deles). Eu farei uma salada deliciosa como forma de agradecimento e homenagem, normal. Alguns também são pais e mães, eles também tem filhos na escola. Normal, ué. Democracia e civilização. Deve ter gente que pensa diferente (se fosse no Br então…).

Anúncios

Parte do ensino passa por um acesso à uma Biblioteca Pública

Screen Shot 2013-09-26 at 3.43.51 PMHá tanto para falar de coisas que funcionam aqui (quando penso no Br), mas nem sempre consigo trazer todos os assuntos que gostaria. Vão fazendo parte do dia a dia aqui e acabam no esquecimento como assunto do blog, pois vão virando corriqueiros…

Quem me conhece sabe que eu tenho uma veia de revolta com tudo de errado que eu vejo acontecendo no Br de longe, e fica mais irritada ainda quando estou lá. Normal para quem mora num país onde as coisas funcionam melhor. Antigamente eu era a mais “inconsolada”, mas meu marido tem ficado num estado de irritação muito maior do que o meu… e quem conhece o Saulo nem imagina ele “transformado” assim, dado à figura calma que ele é. Mas o fato é que toda vez que ele volta do Br e conversamos sobre isso, sempre vem aquela pergunta: e aí, quando é que vc acha que voltaríamos à morar lá? (a pergunta é bilateral!), e, já deixei claro aqui e os amigos mais próximos sabem, que não mudamos para o Canada com a intenção de morar para sempre…mas tá cada vez mais difícil (principalmente na cabeça do Saulo) imaginar uma volta para lá… ter vontade de trocar toda a civilização daqui…

Bom, por essas e outras o assunto do post é a Biblioteca Pública daqui. Beatriz recebeu na primeira semana de aula no ano passado no Kindergarten uma missão: a primeira field trip (ou excurção/passeio da escola)  seria para a Biblioteca Pública mais próxima da escola. E os pais ou responsáveis teriam que ir lá antes fazer o cartão de adesão da criança (se já não tivesse) para ela poder nesse passeio poder pegar algum livro emprestado para trazer para casa, à seu gosto. Eu, que sou frequentadora assídua da Biblioteca (lembrando: pego livros, dvd’s, livros de receitas, revistas de todos os tipos, e tem até ebooks que vc pode fazer o download na internet DE GRAÇA), achei muito legal que ao entrar para o Kindergarten as crianças são levadas a fazer parte deste mundo. Fiz o cartão, ela foi e coisa e tal.

Este ano, assim que as aulas recomeçaram, agora no Grade 1, veio um comunicado da escola da Biblioteca Pública (só em Surrey deve haver umas 8) que eles estavam fazendo um sorteio de um mini ipad para quem fosse lá fazer adesão (para crianças novas do Kindergarten ou para quem não fez ainda) ou renovar para ter um cartão novo (modo de incluir as crianças que já tinham aderido ao sorteio), tudo isso porque eles estão com uma meta de 100% de adesão de todas as crianças como membros/participantes de uma Biblioteca Pública para incentivar a leitura, o ensino, com material completamente de graça que elas podem pegar emprestado.

Agora, dá para comparar isso com o Br? Ensino não é só ter escola pública para todos, mas também passa por Bibliotecas Públicas, com material disponível para todos!

Technologia

  • TV no celular – mobile TV
  • Celular no carro – dá para colocar as chamadas do celular no carro
  • Instalação do telefone vem com dois números: o outro é para o fax
  • Aluguel na biblioteca tem check-out self-service (vc pega os livros, passa na máquinha, imprime o recibo e sai sem falar com ninguém)
  • Mesma coisa supermercado e lojas tipo Ikea: vc faz check-out, paga com cartão de crédito ou débito, embala e vai embora
  • Pagamento de estacionamento: vc lê o número da sua vaga e vai pagar na maquininha, ou pode ser até por telefone
  • Metrô: se não souber comprar na máquina o ticket vc não viaja
  • A TV a cabo aqui tem um HD para gravar filmes ou qq programação da TV, o cara quando instalou me disse para não ficar preocupada se eu começasse a gravar e o HD não mostrasse que estava sendo “carregado”. A capacidade é em Terabytes!

Zero mundo?

Ontem faltou luz no meio da tarde, e levou muito mais de 3 horas para voltar! Tivemos que ir visitar 2 escolinhas que estamos escolhendo para o Nicholas e para sair do hotel fomos obrigados a descer de escada, com carrinho e tudo. Faróis sem funcionar, caos no trânsito mas era só numas quatro ou cinco quadras adjancentes. Disseram que poderia ser algum acidente de trânsito e alguém bateu num poste, não ficamos sabendo o que tinha acontecido exatamente. Para um país – que segundo o Caio nosso amigo – nem é primeiro mundo, é “zero mundo”, achei que não demorou muito…não é só no Brasil que falta luz e vira o caos.