Pode entrar

Achei umas filmagens que Tio Zé fez quando estava aqui e eu tinha copiado para o meu computador. Como tô me aventurando na área de vídeo, fiz essa montagem aqui no Mac. Quem não conhece nossa casa vai poder ter uma boa idéia, e nós teremos sempre essa recordação para guardar desse nosso cantinho aqui no Canada.

Home Sweet Home in Canada from Carla Granato on Vimeo.

Anúncios

Mudando de casa

Ai, finalmente arrumei disposição para relatar nossa experiência da mudança de casa. Então lá vai…”guenta” aí até o final rsss:

O motivo:  já falei várias vezes aqui que estávamos procurando uma casa para mudar para ficarmos dentro da área limite da escola que queríamos matricular a Beatriz, então todo este esforço foi para mudar para uma casa há 3 quadras adiante…já que o governo tinha exclúído a rua onde morávamos do perímetro da Frost Road Elementary School e ela passou a pertencer a outra escola, a Woodland Elementary. Só que a Beatriz praticamente “frequenta” já a Frost Road, pois a escolinha que ela vai é em frente e eles vão lá todo dia para brincar no parquinho da Frost Road, fora os amiguinhos todos que tem 5 anos que vão para o kindergarte lá tb….ou seja, tinha que ser a Frost Road para ela; esforço válido!

A preparação: bom, mudança é tudo igual né, começa-se a empacotar as coisas de menos uso, até chegarmos ao que não vivemos sem. A imobiliária nos deu um checklist, e tínhamos vários ítens a cumprir à risca já esperados, como limpeza, retirada de lixo, lâmpadas funcionando, menos o carpet cleaning que não sabíamos que era obrigatório. E concluímos que haveriam dois pesos pesados para a gente: um que era realizar a mudança em si (aqui com o U-Haul – aluguel de um caminhãozinho do tamanho que é sua mudança e você mesmo carrega, transporta, descarrega e depois entrega o caminhão – as pessoas podem fazer seu self move-out) e a outra que era a exímia limpeza da casa. Como não temos tanta mobília e nossa casa é super clean* (não trouxemos nada da nossa casa do Br p cá, só temos o mínimo necessário que compramos aqui para mobiliar nossa casa), ficamos com a primeira opção por nossa conta e contratamos o serviço de limpeza indicado pela imobiliária.

*só depois de empacotar tudo e carregar o caminhão vimos como acumulamos coisas já e sim, era muita coisa para mudar!!! #trabalheira

A mudança: o dia da mudança estava marcado para uma sexta-feira, então na quinta, depois de mandar as crianças para a escola, passamos o dia embalando tudo, desmontando, e carregando o caminhãozinho do U-Haul. Isso já significava que não ia dar para jantar em casa, então quando pegamos as crianças na escola fomos direto para o Boston Pizza. Na volta do jantar, continuamos a empacotar mais algumas coisas, Saulo começou a pintar algumas paredes por causa das “obras de arte” que as crianças andaram pintando, a gente controlando os dois para não fazerem muita bagunça no que estava arrumado para levar, fora que as escadas já estavam sem os portõezinhos de segurança..quando então…eu corto a mão enquanto embalava os copos! Eram 10:30 da noite e eu segurando um copo daqueles de vidro grosso consigo espatifar o danado na quina da pia da cozinha. Corre pra lá, corre prá cá, pinga sangue pelo chão, faz curativo…tudo que a gente precisa num momento desses. Sem contar que eu dali para frente não ia poder segurar peso, carregar coisas, cuidar direito das crianças; o corte foi feio, precisaria de pontos…

O dia D: acordamos cedo e levamos as crianças para a escola. Como nosso ritmo de manhã é ditado pelas crianças, o serviço de limpeza estava agendado para começar 9:00, mas nesse horário estávamos saindo do café da manhã que tomamos no Tim Hortons e de lá levaríamos as crianças para a escola. Por isso avisei e deixei as portas da casa abertas para que as mulheres da limpeza pudessem entrar. Ao voltarmos para casa nos deparamos com duas hot girls (mãe e filha) de shortinho curtinhoo com as ‘celulas’ aparecendo, em cima de uma escada fazendo limpeza dos armários da cozinha e com um dvd player que elas levaram tocando nas alturas. Visão do inferno! rsss Eu não sabia se chorava ou ria kkkk, eu olhei para a cara do Saulo e caímos na gargalhadas às escondidas. Mas dava graças à Deus de não ter que limpar a casa toda e elas foram simpáticas. Saulo pintou mais um pouco, corremos na loja de material de construção para resolvermos o piso da varanda (que eu tinha queimado com uma panela há tempos atrás qdo quase botei fogo na casa…), empacotei mais algumas coisas e só consegui ir ao médico no meio da tarde para ver o corte da mão. Tinha passado tanto tempo que o médico disse que não valia mais à pena dar pontos, fez um curativo um adesivo tipo micropore e mandou eu fazer repouso com a mão. Como, no meio de uma mudança?

A casa nova: Fomos lá 1:00 da tarde conforme combinado com a dona da casa, a Harman, um amor de pessoa, para fazer o check in de entrada e eis que….a inquilina antiga ainda estava retirando as coisas dela de lá! Achei um abuso!!!!! A Harman, que estava se casando nesta semana (e é indiana e me contou que o casamento deles dura uma semana, com festa todo dia…) chegou lá toda tatuada nos pés, pernas, mãos e braços com aquela tatuagem de henna que as indianas fazem para casar, fez o check out com a inquilina antiga, o check in com a gente e isso tudo com a empresa da inquilina antiga ainda retirando os móvies dela! Coisa de maluco né? A Harman ainda disse que tinha que sair logo porque tinha salão marcado para fazer as unhas, deu no pé e deixou eu e Saulo lá dentro da casa junto com a inquilina antiga! Surreal! Bom, nesta altura do campeonato já trocamos o telefone com a ex-inquilina para ela nos avisar que horas poderíamos entrar com nossas coisas finalmente na casa. Neste ponto eu já estava “bufanco” mas respirava fundo e tentava fazer cara de simpática…Ainda descobrimos que a ex-inquilina além de ser ex-atleta da seleção de futebol canadense (viajou o mundo todo jogando as copas, olimípadas…) é mãe de uma coleguinha de Beatriz da escola, e está se mudando para o nosso condomínio do qual estamos saindo! Mais surreal ainda!!! Pois bem, só 4:30 da tarde oudemos “adentrar” a casa, e o que eu mais temia pensando como a ex-inquilina conseguiria retirar tudo dela E deixar tudo limpo, não foi consumado. Graças à Deus estava tudo limpinho! Só que…junto com a gente chegou o serviço do carpet cleaning!!! Ou seja, o cara do carpet cleaning nos contou que não conseguiu realizar o serviço mesmo com 3 tentativas durante todo o dia porque a ex-inquilina ainda estava retirando as coisas de dentro da casa…e perguntou se a gente ainda queria o serviço (pago pela proprietária)…é claro que eu queria né, odeio sujeira e carpete é algo que só mesmo lavando. Não tivemos dúvidas….mandamos o cara começar ASAP e lá entra ele com a mangueirona escadas acima e o andar dos quartos e as escadas iam ficam ensopadas à partir deste momento. Como entrar com nossas coisas agora, oh Céus?!!! E tínhamos 1:30 até pegar as crianças na escola… Como minha mão estava machucada, só tinha a outra para carregar pesos leves, nessa entra a participação do nosso amigo Noronha que veio principalmente para colocar o colchão de casal King Size até o quarto (quer dizer banheiro da suíte) já que o cara do carpet cleaning ia ensopar todo o chão da suíte… A solução para o restante das coisas foi empilhar na sala (que é piso de madeira) e não ficaria ensopado, e na garagem. Ufa, a hora passando e fui buscar as crianças 6 em ponto enquanto o Saulo terminava de subir com as coisas que restavam! Bom, voltei p buscá-lo e já que nem podíamos entrar em casa com o carpete ainda para secar, fomos jantar na Wendy’s (olha a surpresa delícia da salada abaixo, com molho de açaí!). Só tarde da noite entramos na nossa casa nova e aquela bagunça para tomar banho e dar banho nas crianças, tudo dentro das malas, eu não sabia nem onde estava o shanpoo, as tolhas, sabonetes… Caímos duros na cama, ops, colchões espalhados pelo chão…zzzzz

A saída da casa antiga: para quem pensa que acabou a saga…não, ainda não! Faltava ainda fazer o check out e entregar o caminhão. Acordamos e fomos direto para a casa antiga, pois estava marcado de manhã cedo. Saulo ficou lá enquanto eu passei no drive thru do Tim Hortons para pegar café da manhã para a gente e voltamos com alguma coisa para o Saulo comer. Tomei café dentro do carro com as crianças estacionada em frente à casa, achando que ia ser rápido…quando aparece o Saulo dizendo que tava tudo indo bem no checklist do inspetor até que eles descobriram um vidro da prateleira da geladeira quebrado…as mulheres da limpeza quebram e não falaram nada!!! Ai que ódio!!! Sorte que o inspetor viu que tinha vidro embaixo da geladeira; ou seja, elas tentaram esconder. Ligamos para e empresa da limpeza, a gerente ligou para elas e elas acabaram confessando, ufa! Menos $$$ para a gente, só mesmo stress para resolver. Partimos de lá para a entrega do caminhão. Saulo foi dirigindo o caminhão e eu fui de carro com as crianças para ele ter como voltar. Ao entregar, mais estresse: uma indiana muito mal educada reclamou que deveríamos ter devolvido o caminhão na noite anterior e deixado a chave num tal box, do lado de fora da loja. Como íamos adivinhar que mesmo com a loja fechada podia-se devolver o truck?!!! Nem sabíamos que funcionava assim..a mulher falou horrores, era melhor que tivesse cobrado mais uma diária que ter sido tão deseducada…

A arrumação endless: é, após toda a jornada de trazer tudo para a casa nova, a próxima etapa é guardar tudo, arrumar, arrumar, arrumar, arrumar… Como não somos de ferro, fizemos um pouco durante o fim de semana que ainda teve a segunda de feriado intercalando com algumas saída de casa para entreter as crianças e a gente desestressar um pouco. No fim vou dizer que até hoje (após 1 semana) tá longe de ter tudo no lugar ainda, mas estou curtindo arrumar aos poucos. Gosto de rever o que temos e reciclar, jogar fora o que não é usado e trazer para uso aquilo que até já esquecemos que temos.

Amélia é que era mulher de verdade

Rotina, como dou conta?

Uma das perguntas que muitas amigas me fazem é como consigo dar conta de tudo por aqui: casa, crianças, horários, roupas, comida, malhar, estudar, fazer a unha, compras, etc etc etc sem empregada ou babá.
Bom, para começar, é preciso dizer que meu background foi recheado de treinamentos para uma vida assim…e claro, sem ajuda do MARIDÃO, seria impossível.
Falo background porque, apesar de sempre ter tido conforto na casa dos meus pais quando era criança (eles puderam proporcionar babá, empregada, minha mãe sempre teve ajuda), nunca achei que trabalho doméstico faz ninguém ser mais ou menos alguma coisa. Aos 17 fui fazer faculdade fora da minha cidade (mudei de Campos para Niterói) e lá, num apê com mais 3 amigas (beijos Lili, Vivi e Gigi!!!) comecei a ter que me virar sozinha de alguma forma. Também passei um tempo morando por conta própria em San Diego(USA) durante a faculdade e cheguei até a trabalhar com faxina, babysitter, cozinheira em restaurante, garçonete, estas coisas #mais treinamento! Na volta ao Br até me casar (opa! aí se vão uns bons anos!!!) sempre morei sozinha/dividi apt (Dani prima e Paulinha, que saudades!) e ser responsável pelo “meu lar, minhas roupas, minhas coisas” nunca foi um bicho de 7 kbçs.
Bom até aí vcs podem estar pensando: “Rá, mas tinha ajuda de faxineira, empregada, diarista…” É fato, mas tinha que fazer as compras de supermercado, cozinhar quando não tinha nada para comer e o lixo não vai sozinho embora, andando pela casa…
Quando casei, “praticamente” só mudei de endereço e “room mate” (e vou dizer que é muito mais fácil dividir o apt/casa com mulher, homem não pensa como mulher, é menos prático, enfim, dá mais trabalho!!!). Ou seja: virei “dona de casa” mesmo!
Quando vieram os filhos sim, aí a coisa mudou de figura, pois todo mundo sabe o trabalho que um bebê dá e as noites mal dormidas e vc tentanto se virar entre uma mamada e outra. Mas graças à Deus (embora o Nicholas só tenha 1 ano e meio agora) os períodos de “bebezinho” que eu tive com a Beatriz e o Nicholas eu estava no Brasil (isso significa: terceirização, enfermeira, babá, empregada, diarista, faxineira, mãe, sogra, irmã, cunhada, vizinha…toda ajuda era benvinda!).
Sendo assim, posso dizer então que meu “curso de pós-graduação” de Amélia foi quando moramos em Oklahoma City em 2008/2009. Mudamos para lá quando a Beatriz tinha 1 ano e 7 meses, sem babá, empregada e afins.
Aprendi a ser prática, coloquei a técnica de cozinheira de restaurante (tem que ser tudo rápido, eficiente, planejado!) para funcionar, e principalmente, relembrei como os americanos cuidavam de suas casas (da época lá de San Diego). Produtos, papel toalha, aspirador de pó pra tudo…não lembra nem de longe a “técnica” brasileira de jogar água em tudo (aqui nem ralo tem nos pisos!).
Bom, resumindo, para mim o segredo está em:
1- Não acumular.
2- Não tentar fazer tudo de uma vez.
3- Recrutar o marido para tarefas ingratas e pesadas.
4- Fazer um pouco cada dia, ter prioridade.
5- Eletrodoméstico mais importante da casa: LAVALOUÇA.
6- Fazer com prazer (com música, tv ligada, enquanto conversa com alguém pelo skype!).
Vamos lá:
– ROUPAS
A máquina de lavar aqui fica no corredor dos quartos, andar de cima! Achei estranho no início, mas depois vi que não há nada mais prático. As roupas sujas e limpas não passeiam pela casa…saem dos banheiros direto para a máquina de lavar, depois para secar e coloco no armário específico do banheiro até eu ter resolver passar (não sei se é produto, ou o quê, mas tem roupas que saem sem um amassado, nem precisa passar!). Bom, faço a lavanderia sem nem perceber, pois sempre que passo pelo corredor coloco algo na máquina, etc. E escolho um dia da semana para passar as roupas (normalmente segunda-feira), depois que as crianças jantam…sabe aquele horário que a gente senta para ver a novela….então, a diferença é que em vez de ficar jogada no sofá, tô passando as roupas! obs.: roupas sociais do Saulo, ele (e eu tb! rsss) faz questão de passar, pois tem muito mais habilidade do que eu para camisa social, diz ele….(kkkkk ele acho que eu passo mal pra caramba as camisas dele…rsss…na verdade até as empregadas que nós tivemos, nenhuma passou na avalização dele #prá mim tá ótimo )
-LIMPEZA
Um pouco todo dia e a cada tá sempre limpa. Convenhamos: aqui suja muito menos. Não sei explicar, mas é assim mesmo. E por isso acho que dá menos trabalho. Acho que por ser uma sociedade que não teve um passado “feudal” (Casa Grande Senzala, Gilberto Freyre, leitura por favor…), ninguém tá acostumado a ter empregada, as casas foram projetadas para serem assim. Bom, um dia eu limpo um banheiro ou os banheiros (são 3), no outro eu troco as roupas de cama e passo aspirador de pó no andar de cima todo, ou vejo que a pia da cozinha precisa de um clorox… De fato, o que faço todos os dias é colocar tudo na lavalouça, varrer a cozinha e passar pano úmido na sala (onde as crianças brincam mais) – isso é sagrado, a vassoura já fica ao lado da geladeira e não consigo ver nem uma migalha de pão no chão…é tirar a mesa depois das refeições e lá vou eu com minha vassoura. O segredo para tudo isto é, se for uma atividade rápida tipo varrer o chão, que seja logo após tirar a mesa…se for uma atividade que toma tempo, fazer apenas essa que virou prioridade naquele dia, e num horário que não vai atrapalhar outras coisas; eu sempre deixo para fazer assim que chego da academia, pois já tô mesmo precisando tomar um banho então é a melhor hora. Não gasto mais que 15 minutos em qualquer tarefa de limpeza por dia! E olha que muitas vezes até hoje o Nicholas está na “minha cola”, o que torna as coisas uma “pouco mais complicadas de administrar” (ele quer a vassoura, usar o spray de limpeza, tenho que parar para ir tirar ele que acabou de subir em cima da mesa e enquanto eu não estava olhando…).
– COMIDA
Essa parte é, digamos, natural. Tem que fazer, senão passa fome certo? E aqui tem arroz com feijão sim senhor! Aqueles pratos de comida congelada passam longe… E ainda por cima: somos um pouco naturebas. Mas quando se começa a cozinhar todos os dias, vc vai aprendendo a se planejar, a organizar um cardápio que vai se renovando…Dá para cozinhar feijão para um dia e congelar umas duas porções que podem ser usadas em outros dias. Daí vc só precisa fazer um arroz, deixar um filé de peixa assando, a salada pode ser a do jantar anterior…enfim, nunca cozinho tudo sempre “do zero” ( o que daria muito mais trabalho e passaria horas na cozinha). E olha que tenho que mandar o almoço da Beatriz e do Nicholas para a escola, assim que eles saem de manhã! À noite o Saulo ajuda bastante, faz um pouco do jantar, esquenta alguma coisa, inventa uma receita nova…De fato, gostamos de cozinhar o que torna tudo mais fácil. Faço sempre um sopão de legumes, verduras, carboidrato e proteína para o Nicholas e congelo em pequenas porções, o que sempre faz com que tenha comida para ele quando por exemplo ele não pode comer a comida “da casa”…tipo numa sexta à noite quanto temos pizza para jantar. Beatriz é ótima para comer, então não dá trabalho. Na verdade, como ela almoça um “lunch”, reforço o jantar dela, então é sempre algo mais pesado tipo arroz e feijão. Mas sem estresse, pois o que faço para o almoço meu e do Saulo é o que as crianças normalmente vão jantar. Nós (os adultos) sempre comemos algo mais leve (salada, sopa, massa, sanduíche..) à noite. Bom dizer que aqui também ajuda muito as coisas virem mais limpinhas do supermercado, molhos são deliciosos, enfim, isso ajuda né?
– BABÁ
Esse ítem não tem jeito, “tem que chamar a responsabilidade para si” rssss. Mas colocando a casa adaptada para os pequenos (aqui tem portões por ex., para eles não passarem para as escadas, não deixo coisas perigosas à mão) dá para ficar em casa (se tiver que fazer alguma coisa que não seja apenas tomar conta deles) numa boa. Marido nestas horas também conta muito, porque o Saulo dá banho, comida, coloca para dormir, ajuda muito. (Bom, sem querer “diminuir” o rapaz, notem que usei a palavra “ajuda”, porque tb não posso dizer também que “na minha ausência assume a responsabilidade”…roupas da crianças ficariam pelos cantos, mochilas para sair de casa ficariam esquecidas, e nunca sabe onde está a chupeta reserva por exemplo…). Mas digamos que sem essa ajuda, seria impraticável e não posso reclamar, só elogiar. Outra coisa bem legal também é que aqui nas academias tem Childminding (eles tomam conta da criança enquanto vc malha, numa salinha de brinquedo especial, e não precisa de uma babá junto se a criança é menor de 3 anos). Só fica faltando mesmo é uma babysitter para sair à noite, ir à um show….pois todos os outros lugares são “family friendly”, ou seja dá para ir até ao cinema levando um bebê junto, tem estrutura para isso.
Vou tentar num outro post por aqui descrever um dia meu, como se fosse um diário, para dar uma idéia na prática como a coisa funciona, ok meninas?

Tiramos os milinários de primeiro mundo, como diz o título deste post, acho que aqui somos mãe, dona-de-casa, esposa, mulher de verdade! 100% ! Não dá para terceirizar nadica… hehehehe…e vou confessar que eu gosto, dá trabalho, claro, mas a sensação de “conseguir dar conta”, a ainda fazer tudo do seu jeito e não ter que reclamar que alguém fez alguma coisa errada (aqueles estresses com babá e empregada) dá até prazer de fazer!
Beijos

High Chair or booster?

Quando chegamos aqui saímos à caça de cadeirinhas do carro para as crianças, berço, cadeirão, portões de segurança para as escadas. Parecia um novo enxoval de bebê…Já resolvemos maioria das coisas, e agora já tá me dando vontade de trocar o carrinho de bebê que trouxemos…Acabei não comprando outro cadeirão para o Nicholas, optei por esse booster super prático. Detalhe: ele desmonta todo e dá para colocar para lavar na lava-louça!

É aqui que eu "papo" todo dia!

A mesinha também sai e eu posso me sentar à mesa com papai, mamãe e Beatriz!

Preço$

Como não fizemos mudança (deixamos nosso ap no Rio totalmente mobiliado), tivemos que comprar desde sofá, cama, mesa e cadeiras até panelas, toalhas de banho, copos, talheres…enfim, tudo!

Algumas coisas especiais nós trouxemos do Br, como uma roupa de cama queen e edredon que eu tinha comprado nos USA para a Beatriz e ela ainda não tinha usado ainda, livros, DVD’s, uma slow cooker que nunca achei funcional no Br, brinquedos, material de estudo e trabalho, livros de receitas, fotos, e claro roupas, sapatos, acessórios, coisas pessoais.

Interessante como tudo aqui é infinitamente mais barato e de melhor qualidade. Não chega à ser o paraíso das compras se comparado aos USA (sinto falta do Target, Big Lots, Victoria Secrets…algumas lojas que não tem aqui) e nem tudo que vende por exemplo no WalMart dos USA (mesmo online) vende aqui…mas tem outras lojas especializadas em determinados artigos que cumprem direitinho o seu papel.

Mas ainda assim, mesmo sendo dólar canadense e blá blá blá,os preços são muito bons. Para ter uma idéia, olha só quanto custaram alguns ítens: (IKEA, Bad Bath Beyond, Sears, Walmart, Babies ‘r us, Best Buy

– talheres (24 peças) 9 dól

– panelas (2 c/ tampa + caçarola) 10 dól

– louça (pratos rasos, sobremesa e bows 20 peças) 14 dól

– booster do Nicholas (que encaixa na cadeira da nossa mesa da cozinha) 17 dól

– mesa e 4 cadeires da cozinha – de madeira uma graça 149 dól

– microondas 89 dól

– cama king size c/ box e frame!  799 dól

– berço 179 dól

– 3em1  multiprocessador (este eu amei!) 79 dól

– …..