Mudança Vancouver-Toronto

Mudamos no final de junho meio sem saber se íamos ficar em Toronto depois das férias de verão, pois o Saulo apesar de já estar trabalhando lá não sabia se o projeto ia continuar. Então os planos eram: passar julho em Toronto (enquanto ele estivesse trabalhando lá) e agosto no Brasil (acabamos ficando até final de setembro também). Como não tínhamos destino, saímos da casa e resolvemos colocar nossa mobília (e todos os objetos pessoais, inclusive roupas) num storage. Viajamos com apenas 1 mala e meia cada um com roupas para o verão em Toronto e o inverno ameno no Brasil. Virando família portátil em 3, 2, 1!

Packing! Packing! Packing!

IMG_6305

Ajudante especial

IMG_6282

De novo, mais uma mudança de U-Haul

IMG_6300

Uma dessas portinhas é onde está toda a nossa casa, num storage lá em Surrey:

IMG_6319

Chegou o dia!

Processed with VSCOcam with m5 preset

IMG_6350

Aproveitando o lounge do Air Canada (p.s.: é suco de cranberry)

IMG_6348

IMG_6353

Já que tem que comprar a comida nesses vôos internos, imagina se eles iam perder a opção de sushi!

IMG_6362

IMG_6366

Próximas aventuras: www.saulocarlabeatriznicholasintoronto.wordpress.com . Até lá!

 

Mudando de casa

Ai, finalmente arrumei disposição para relatar nossa experiência da mudança de casa. Então lá vai…”guenta” aí até o final rsss:

O motivo:  já falei várias vezes aqui que estávamos procurando uma casa para mudar para ficarmos dentro da área limite da escola que queríamos matricular a Beatriz, então todo este esforço foi para mudar para uma casa há 3 quadras adiante…já que o governo tinha exclúído a rua onde morávamos do perímetro da Frost Road Elementary School e ela passou a pertencer a outra escola, a Woodland Elementary. Só que a Beatriz praticamente “frequenta” já a Frost Road, pois a escolinha que ela vai é em frente e eles vão lá todo dia para brincar no parquinho da Frost Road, fora os amiguinhos todos que tem 5 anos que vão para o kindergarte lá tb….ou seja, tinha que ser a Frost Road para ela; esforço válido!

A preparação: bom, mudança é tudo igual né, começa-se a empacotar as coisas de menos uso, até chegarmos ao que não vivemos sem. A imobiliária nos deu um checklist, e tínhamos vários ítens a cumprir à risca já esperados, como limpeza, retirada de lixo, lâmpadas funcionando, menos o carpet cleaning que não sabíamos que era obrigatório. E concluímos que haveriam dois pesos pesados para a gente: um que era realizar a mudança em si (aqui com o U-Haul – aluguel de um caminhãozinho do tamanho que é sua mudança e você mesmo carrega, transporta, descarrega e depois entrega o caminhão – as pessoas podem fazer seu self move-out) e a outra que era a exímia limpeza da casa. Como não temos tanta mobília e nossa casa é super clean* (não trouxemos nada da nossa casa do Br p cá, só temos o mínimo necessário que compramos aqui para mobiliar nossa casa), ficamos com a primeira opção por nossa conta e contratamos o serviço de limpeza indicado pela imobiliária.

*só depois de empacotar tudo e carregar o caminhão vimos como acumulamos coisas já e sim, era muita coisa para mudar!!! #trabalheira

A mudança: o dia da mudança estava marcado para uma sexta-feira, então na quinta, depois de mandar as crianças para a escola, passamos o dia embalando tudo, desmontando, e carregando o caminhãozinho do U-Haul. Isso já significava que não ia dar para jantar em casa, então quando pegamos as crianças na escola fomos direto para o Boston Pizza. Na volta do jantar, continuamos a empacotar mais algumas coisas, Saulo começou a pintar algumas paredes por causa das “obras de arte” que as crianças andaram pintando, a gente controlando os dois para não fazerem muita bagunça no que estava arrumado para levar, fora que as escadas já estavam sem os portõezinhos de segurança..quando então…eu corto a mão enquanto embalava os copos! Eram 10:30 da noite e eu segurando um copo daqueles de vidro grosso consigo espatifar o danado na quina da pia da cozinha. Corre pra lá, corre prá cá, pinga sangue pelo chão, faz curativo…tudo que a gente precisa num momento desses. Sem contar que eu dali para frente não ia poder segurar peso, carregar coisas, cuidar direito das crianças; o corte foi feio, precisaria de pontos…

O dia D: acordamos cedo e levamos as crianças para a escola. Como nosso ritmo de manhã é ditado pelas crianças, o serviço de limpeza estava agendado para começar 9:00, mas nesse horário estávamos saindo do café da manhã que tomamos no Tim Hortons e de lá levaríamos as crianças para a escola. Por isso avisei e deixei as portas da casa abertas para que as mulheres da limpeza pudessem entrar. Ao voltarmos para casa nos deparamos com duas hot girls (mãe e filha) de shortinho curtinhoo com as ‘celulas’ aparecendo, em cima de uma escada fazendo limpeza dos armários da cozinha e com um dvd player que elas levaram tocando nas alturas. Visão do inferno! rsss Eu não sabia se chorava ou ria kkkk, eu olhei para a cara do Saulo e caímos na gargalhadas às escondidas. Mas dava graças à Deus de não ter que limpar a casa toda e elas foram simpáticas. Saulo pintou mais um pouco, corremos na loja de material de construção para resolvermos o piso da varanda (que eu tinha queimado com uma panela há tempos atrás qdo quase botei fogo na casa…), empacotei mais algumas coisas e só consegui ir ao médico no meio da tarde para ver o corte da mão. Tinha passado tanto tempo que o médico disse que não valia mais à pena dar pontos, fez um curativo um adesivo tipo micropore e mandou eu fazer repouso com a mão. Como, no meio de uma mudança?

A casa nova: Fomos lá 1:00 da tarde conforme combinado com a dona da casa, a Harman, um amor de pessoa, para fazer o check in de entrada e eis que….a inquilina antiga ainda estava retirando as coisas dela de lá! Achei um abuso!!!!! A Harman, que estava se casando nesta semana (e é indiana e me contou que o casamento deles dura uma semana, com festa todo dia…) chegou lá toda tatuada nos pés, pernas, mãos e braços com aquela tatuagem de henna que as indianas fazem para casar, fez o check out com a inquilina antiga, o check in com a gente e isso tudo com a empresa da inquilina antiga ainda retirando os móvies dela! Coisa de maluco né? A Harman ainda disse que tinha que sair logo porque tinha salão marcado para fazer as unhas, deu no pé e deixou eu e Saulo lá dentro da casa junto com a inquilina antiga! Surreal! Bom, nesta altura do campeonato já trocamos o telefone com a ex-inquilina para ela nos avisar que horas poderíamos entrar com nossas coisas finalmente na casa. Neste ponto eu já estava “bufanco” mas respirava fundo e tentava fazer cara de simpática…Ainda descobrimos que a ex-inquilina além de ser ex-atleta da seleção de futebol canadense (viajou o mundo todo jogando as copas, olimípadas…) é mãe de uma coleguinha de Beatriz da escola, e está se mudando para o nosso condomínio do qual estamos saindo! Mais surreal ainda!!! Pois bem, só 4:30 da tarde oudemos “adentrar” a casa, e o que eu mais temia pensando como a ex-inquilina conseguiria retirar tudo dela E deixar tudo limpo, não foi consumado. Graças à Deus estava tudo limpinho! Só que…junto com a gente chegou o serviço do carpet cleaning!!! Ou seja, o cara do carpet cleaning nos contou que não conseguiu realizar o serviço mesmo com 3 tentativas durante todo o dia porque a ex-inquilina ainda estava retirando as coisas de dentro da casa…e perguntou se a gente ainda queria o serviço (pago pela proprietária)…é claro que eu queria né, odeio sujeira e carpete é algo que só mesmo lavando. Não tivemos dúvidas….mandamos o cara começar ASAP e lá entra ele com a mangueirona escadas acima e o andar dos quartos e as escadas iam ficam ensopadas à partir deste momento. Como entrar com nossas coisas agora, oh Céus?!!! E tínhamos 1:30 até pegar as crianças na escola… Como minha mão estava machucada, só tinha a outra para carregar pesos leves, nessa entra a participação do nosso amigo Noronha que veio principalmente para colocar o colchão de casal King Size até o quarto (quer dizer banheiro da suíte) já que o cara do carpet cleaning ia ensopar todo o chão da suíte… A solução para o restante das coisas foi empilhar na sala (que é piso de madeira) e não ficaria ensopado, e na garagem. Ufa, a hora passando e fui buscar as crianças 6 em ponto enquanto o Saulo terminava de subir com as coisas que restavam! Bom, voltei p buscá-lo e já que nem podíamos entrar em casa com o carpete ainda para secar, fomos jantar na Wendy’s (olha a surpresa delícia da salada abaixo, com molho de açaí!). Só tarde da noite entramos na nossa casa nova e aquela bagunça para tomar banho e dar banho nas crianças, tudo dentro das malas, eu não sabia nem onde estava o shanpoo, as tolhas, sabonetes… Caímos duros na cama, ops, colchões espalhados pelo chão…zzzzz

A saída da casa antiga: para quem pensa que acabou a saga…não, ainda não! Faltava ainda fazer o check out e entregar o caminhão. Acordamos e fomos direto para a casa antiga, pois estava marcado de manhã cedo. Saulo ficou lá enquanto eu passei no drive thru do Tim Hortons para pegar café da manhã para a gente e voltamos com alguma coisa para o Saulo comer. Tomei café dentro do carro com as crianças estacionada em frente à casa, achando que ia ser rápido…quando aparece o Saulo dizendo que tava tudo indo bem no checklist do inspetor até que eles descobriram um vidro da prateleira da geladeira quebrado…as mulheres da limpeza quebram e não falaram nada!!! Ai que ódio!!! Sorte que o inspetor viu que tinha vidro embaixo da geladeira; ou seja, elas tentaram esconder. Ligamos para e empresa da limpeza, a gerente ligou para elas e elas acabaram confessando, ufa! Menos $$$ para a gente, só mesmo stress para resolver. Partimos de lá para a entrega do caminhão. Saulo foi dirigindo o caminhão e eu fui de carro com as crianças para ele ter como voltar. Ao entregar, mais estresse: uma indiana muito mal educada reclamou que deveríamos ter devolvido o caminhão na noite anterior e deixado a chave num tal box, do lado de fora da loja. Como íamos adivinhar que mesmo com a loja fechada podia-se devolver o truck?!!! Nem sabíamos que funcionava assim..a mulher falou horrores, era melhor que tivesse cobrado mais uma diária que ter sido tão deseducada…

A arrumação endless: é, após toda a jornada de trazer tudo para a casa nova, a próxima etapa é guardar tudo, arrumar, arrumar, arrumar, arrumar… Como não somos de ferro, fizemos um pouco durante o fim de semana que ainda teve a segunda de feriado intercalando com algumas saída de casa para entreter as crianças e a gente desestressar um pouco. No fim vou dizer que até hoje (após 1 semana) tá longe de ter tudo no lugar ainda, mas estou curtindo arrumar aos poucos. Gosto de rever o que temos e reciclar, jogar fora o que não é usado e trazer para uso aquilo que até já esquecemos que temos.